Na tradução formal, um mosqueteiro é um soldado armado com um mosquete. E o mosquete é uma das primeiras armas de fogo usadas pela infantaria no século XVI. É uma evolução da arcabuz e muito semelhante à espingarda, porém mais pesada.

Já na literatura, esses soldados ficaram conhecidos pela obra do francês Alexandre Dumas, “Os Três Mosqueteiros”. Uma trilogia baseada em fatos reais do século XVII, durante os reinados de Luís XIII e Luís XIV.

Essa explicação histórica é bastante importante para entendermos o motivo pelo qual o Mosqueteiro é o Mascote do Corinthians.

Há duas versões sobre isso.

1 – Mosqueteiro de Alexandre Dumas

A 1ª diz que tudo aconteceu após o Clube Paulista pleiteou uma vaga na Liga Paulista de Futebol em 1913, da qual participavam apenas Americano, Germânia e Internacional, que eram clubes que atuavam como os personagens de Dumas: Athos, Porthos e Aramis.

Veja:  Ex-Goleiro do Timão vira Construtor de Prédios... Mas diz que Vai Voltar

Assim, como haviam outros pretendentes, o Corinthians precisou disputar uma seletiva contra o Minas Gerais e o FC São Paulo, outros grandes clubes da várzea paulistana.

Após vencer ambas as equipes, o Corinthians garantiu o direito de participar da Divisão Especial da Liga, e, na imprensa, ganhou o apelido de D’Artagnan, outro mosqueteiro do livro de Dumas.

Logo, o mosqueteiro do Corinthians é justamente D’Artagnan e não qualquer outro, que representa, inclusive, a valentia, a audácia e o espírito de luta.

2 – Fibra de Mosqueteiro, de Tomás Mazzoni

A outra explicação deve-se ao fato de que o surgimento tenha acontecido em 1929, quando o Clube venceu o Barracas, da Argentina, por 3 a 1 no que foi considerada a 1ª vitória do Corinthians em partidas internacionais.

Veja:  Para o Corinthians, Cássio já é Seleção!

Na imprensa, nas palavras do jornalista do jornal “A Gazeta”, Tomás Mazzoni, “O Corinthians venceu com Fibra de Mosqueteiro”. A versão ficou adotada de forma oficial pelo clube e pelos historiadores.

Curiosidade: Sobre o São Jorge

Outro mascote do Corinthians é o São Jorge. Essa justificativa é mais simples: após comprar o campo do Parque São Jorge, em 1926, o Corinthians adotou o santo como seu padroeiro.

O clube fez até mesmo uma capela em homenagem à ele dentro da sua sede social.

Com informações do Wikipedia

Vamos Fiel, deixe sua opinião abaixo e nos ajude a melhorar, COMENTE!

Loucos do Bando comentaram!